Em solene emocionante e com os familiares, Welman Curi recebe Cidadania Mariliense

por Ramon Barbosa Franco publicado 11/02/2019 16h22, última modificação 11/02/2019 16h22
“Quando cheguei em Marília, a cidade possuía apenas 37 mil habitantes. Hoje são mais de 237 mil”, recorda comerciante responsável pela vinda das lojas Riachuelo
Em solene emocionante e com os familiares, Welman Curi recebe Cidadania Mariliense

Momento da entrega do título de cidadão para Welman Ibrahin Curi

A primeira sessão solene de 2019 da Câmara Municipal de Marília foi marcada por forte emoção. O comerciante Welman Ibrahin Curi, 89 anos, que desde a década de 1950 vive na cidade recebeu, por direito, a Cidadania Mariliense. A homenagem partiu de projeto de Decreto Legislativo de autoria do ex-presidente da Câmara, vereador Luiz Eduardo Nardi (PR). A cerimônia, presidida pelo presidente do Poder Legislativo, Marcos Rezende (PSD), foi transmitida ao vivo pela TV Câmara (emissora legislativa) e reuniu autoridades, como o ex-deputado federal Doreto Campanari e o secretário municipal do Trabalho e Desenvolvimento Econômico, Nelson Mora (ex-vereadora de Marília), e familiares do homenageado. Participaram os vereadores  Nardi (do PR e autor da homenagem), Evandro Galete (PODE), Mário Coraíni Júnior (PTB), Maurício Roberto (PP), João do Bar (PHS), Delegado Damasceno (PSDB) e José Luiz Queiroz (PSDB). O prefeito Daniel Alonso (PSDB), por ter assumido compromissos anteriores, não pôde comparecer, mas solicitou que o secretário Nelson Mora o representasse durante a cerimônia.

Nascido em São Paulo em 14 de maio de 1929, Welman Ibrahin Curi chegou em Marília em 1952 e, em seguida, conheceu sua esposa, a senhora Lourdes Nahas Curi, que o acompanhou o tempo todo durante a solenidade. Também estiveram presentes os filhos: Welman, Maraclei, Welber e Welton, bem como alguns netos. Nem todos compareceram pois alguns trabalham e estudos no Exterior, como Estados Unidos, Índia e na África.

Referência na preparação de noivos para o matrimônio na Igreja Católica, Welman foi saudado na tribuna pelo ex-presidente da Câmara, Delegado Damasceno (PSDB). O vereador lembrou que, na década de 1980, ele e sua esposa, Márcia Damasceno, participaram do curso de formação de noivos ministrado por Welman e esposa Lourdes. Quem também lembrou a ligação do homenageado com a formação das famílias foi o secretário Nelson Mora, que ao usar a tribuna 27 anos depois de seu último ano como vereador de Marília, citou a atuação de Welman Curi no comércio de Marília. Através da Casa do Enxoval, loja fundada pelo homenageado, a esposa de Nelson adquiriu vestido que usou no seu matrimônio, em 1973.

Presenças também de lideranças religiosas, como padre Carlão Toffoli e o monsenhor Nivaldo Resstel, que exerceu o cargo de prefeito de Oriente. "Quando cheguei em Marília, a cidade possuía 37 mil habitantes. Hoje são mais de 237 mil. Naquela época, era chamada de Cidade Moça e o prefeito de então era o capitão Lyrio. Em Marília, realmente, encontrei o meu oásis: a minha esposa Lourdes, que amo tanto e que tanto me faz feliz”, ressaltou o homenageado ao realizar um emocionante e preciso discurso na tribuna.

O presidente Marcos Rezende, antes do término da sessão solene, ponderou algumas palavras, enaltecendo a emoção que tomou conta da cerimônia. “Este plenário se encheu de emoção e, particularmente, um momento calou fundo em meu coração: foi quando o homenageado se referiu a sua esposa, companheira de quase 65 anos de vida matrimonial. Parabéns, a família é o esteio de uma sociedade e a família do seu Welman é um exemplo não só para nossa Marília, mas para toda a sociedade do Brasil”, afirmou Rezende.