Lideranças de Marília detalham aos vereadores a formatação do Conselho de Desenvolvimento

por Ramon Barbosa Franco publicado 12/08/2019 18h33, última modificação 12/08/2019 18h33
Representantes da indústria, comércio, segurança pública e classe produtiva apresentaram metas e estratégia inicial de trabalho
Lideranças de Marília detalham aos vereadores  a formatação do Conselho de Desenvolvimento

Lideranças apresentaram aos vereadores os princípios do Codem

Lideranças da classe produtiva e de outros segmentos da sociedade mariliense apresentaram na tarde desta segunda-feira, dia 12, os princípios e as metas iniciais de trabalho do Conselho de Desenvolvimento Estratégico de Marília, o Codem. O órgão deliberativo encontra-se em fase embrionária, tendo como modelo as experiências assertivas realizadas em municípios do Paraná, a exemplo de Maringá, Londrina e Foz do Iguaçu.

A apresentação aconteceu na sala da presidência do Poder Legislativo de Marília e contou com as presenças dos vereadores Marcos Rezende (presidente, PSD), Cícero do Ceasa (vice-presidente, PV), João do Bar (segundo-secretário, PHS), José Luiz Queiroz (quarto-secretário, PSDB), Maurício Roberto (presidente da Comissão de Justiça e Redação, PP), Luiz Eduardo Nardi (PL), Delegado Damasceno (PSDB) e Marcos Custódio (PSC). A classe produtiva, incluindo comércio, indústria e empreendedores, e o segmento da segurança pública, estiveram representados pelo presidente da Associação Comercial e Industrial de Marília (Acim), Adriano Martins, coronel da Polícia Militar Marcos Boldrin, presidente do Centro da Indústria do Estado de São Paulo (Ciesp), Chikao Nishimura, empresário José Geraldo Garla, consultor José Aparecido Rossato e superintendente da Acim, Guto Gomes. “Além de Maringá, cidades como Uberlândia, em Minas Gerais, e Manaus, no Amazonas, também estão servindo de modelo para a criação, composição e estratégia de trabalho do Conselho de Desenvolvimento Estratégico de Marília, o Codem”, informou o presidente da Acim, Adriano Martins.

Na fase embrionária, o Codem – que para ser criado necessita ser objeto de Projeto de Lei do Poder Executivo, e, portanto, apreciado e votado pelo plenário da Câmara Municipal – é composto por uma comissão provisória e por três subgrupos de trabalho: subgrupo jurídico, subgrupo de compilação e subgrupo de comunicação. Ao todo, serão 9 áreas de atuação, incluindo setores de resíduos sólidos e saneamento, planejamento urbano e mobilidade, tecnologia e inovação, educação, saúde e turismo, entre outras. “Qual será o desenho da Marília dos próximos 20 anos? Praticamente será esta a missão do Codem. E para que as metas possam ser alcançadas plenamente, precisamos da cooperação e da união”, ponderou Martins.

O pré-projeto para a criação do Codem foi redigido previamente pelo subgrupo jurídico – que analisou os modelos exitosos de Londrina, Foz de Iguaçu e Maringá. Aliás, o ex-prefeito de Maringá e idealizador do Codem daquela cidade, Silvio Barros, é consultor do Codem de Marília e sua experiência e know-how vêm auxiliando as lideranças marilienses. “O objetivo é integração, uma integração justamente para melhorar a cidade”, resumiu Chikao Nishimura, do Ciesp e executivo do Grupo Jacto.

O presidente da Câmara Municipal de Marília, vereador Marcos Rezende (PSD), ressaltou que a apresentação do Codem foi altamente positiva. “Muito importante este diálogo da classe política com as forças vivas de nossa cidade. Venho acompanhando a construção do Codem de Marília e, acredito que, certamente, nossa população será muito beneficiada por esta estratégia, por esta proposta de crescimento urbano de forma sustentada”.