Presidente acompanha a entrega de anteprojeto para regularizar o quadro funcional da Fumes

por Ramon Barbosa Franco publicado 09/10/2019 17h52, última modificação 09/10/2019 17h52
Minuta foi desenvolvida pela assessoria técnica e corpo jurídico do complexo Hospital das Clínicas e Famema (Faculdade de Medicina de Marília)

O presidente da Câmara Municipal de Marília, vereador Marcos Rezende (PSD), acompanhou na terça-feira, dia 8 de outubro, da entrega da minuta com o anteprojeto para regularização do quadro funcional da Fumes, a Fundação Municipal de Ensino Superior. Criada em 1966 para instalar, administrar e organizar a Faculdade de Medicina de Marília (Famema), a instituição integra o complexo Hospital das Clínicas e Famema, gerando 1.100 empregos diretos. São profissionais que exercem funções e atividades em prol da saúde das populações de Marília e outras 61 cidades.

A entrega do documento, elaborado nos últimos 30 dias pelos setores técnico e jurídico do complexo HCFamema, aconteceu no gabinete do prefeito municipal Daniel Alonso (PSDB), com as presenças da diretoria da Famema e presidência da Fumes. Prestigiaram o momento o diretor-geral Dr. Valdeir Fagundes de Queiroz, vice-diretor Dr. José Augusto Sgarbi, diretor-administrativo Dr. Luís Carlos de Paula e Silva e presidente da Fumes, Dr. José Carlos Nardi, além do presidente da Câmara Municipal de Marília, vereador Marcos Rezende e técnicos do complexo HCFamema.

“Estamos vivendo um momento único, pois há 50 anos a Fumes luta constantemente para sua sobrevivência. Neste momento, que defino como histórico, existe alinhamento da gestão da Faculdade de Medicina, com a administração municipal e apoio da Câmara Municipal de Marília, bem como do governo do Estado de São Paulo, justamente para que possamos encontrar soluções e chegarmos à reestruturação definitiva da Fumes”, ponderou o vice-diretor da Famema, Dr. José Augusto Sgarbi. Sgarbi informou que, nos últimos 30 dias, de forma diuturna, membros das equipes administrativa e corpo jurídico se debruçaram para a composição da minuta do anteprojeto. “Também estivemos em contato com os senhores vereadores, sendo que a última reunião ocorreu na segunda-feira passada, dia 7, com a presença da maioria dos legisladores municipais. Nesta ocasião, que aconteceu na sala do presidente Marcos Rezende, a diretoria do complexo HCFamema expôs o porquê da necessidade deste projeto de Lei, principalmente a importância desta matéria para 1.100 trabalhadores”.

O diretor Dr. Valdeir Fagundes de Queiroz lembrou que, pela ausência de uma legislação municipal que definisse o quadro funcional da Fumes, apontamentos do Tribunal de Contas e o Ministério Público vêm exigindo a regularização através de Lei Municipal. O anteprojeto passará por crivo da assessoria técnica e procuradores jurídicos do Município, conforme explicou o prefeito Daniel Alonso. “Os maiores problemas que a nossa gestão enfrenta são estruturais e herdados de gestões passadas. A Fumes, assim como a obra do esgoto, se encontrava em situação irregular. Portanto, graças ao esforço conjunto e disposição da atual diretoria da Famema, estamos tendo a oportunidade de alcançar esta regularização. A Câmara de Marília, através de todos os vereadores da Legislatura, está ciente da demanda. Portanto, creio que teremos a aprovação”, afirmou.

O presidente da Câmara Municipal de Marília, vereador Marcos Rezende (PSD), ressaltou que para os 13 vereadores o momento é histórico, pois terão a chance de regularizar uma situação que se arrasta há meio século. “Importante que se esclareça: não será criado nenhum novo cargo, não haverá acréscimo de salário, mas sim uma organização na instituição. Temos sim a oportunidade de equacionar uma situação e evitar que 1.100 pessoas percam seus empregos atuais, pois existe ação judicial correndo que coloca em risco a situação dos 1.100 profissionais e suas famílias”.