Presidente e vereadores recebem lideranças dos aposentados para abordar situação do Ipremm

por Ramon Barbosa Franco publicado 04/07/2019 18h26, última modificação 04/07/2019 18h26
Servidores aposentados e representantes do sindicato da categoria conversaram com os vereadores na tarde desta quarta-feira, dia 3
Presidente e vereadores recebem lideranças dos aposentados para abordar situação do Ipremm

O presidente da Câmara e vereadores com os servidores aposentados

O presidente da Câmara Municipal de Marília, vereador Marcos Rezende (PSD) e os vereadores Cícero da Silva (PV), Delegado Damasceno (PSDB), José Luiz Queiroz (PSDB), Luiz Eduardo Nardi (PR), Professora Daniela (PL), João do Bar (PHS), Danilo da Saúde (PSB), Evandro Galete (Podemos) e José Carlos Albuquerque (PRB) se reuniram na tarde desta quarta-feira, dia 3, com representantes dos servidores municipais aposentados e do sindicato da categoria. O encontro aconteceu na sala de reuniões Nasib Cury, localizada no piso térreo do edifício legislativo. A diretoria do sindicato dos servidores, servidores aposentados e os parlamentares presentes abordaram no encontro a previdência municipal.

Aposentados e entidade sindical destacaram a preocupação da categoria com a saúde financeira do Instituto de Previdência do Município de Marília, o Ipremm, Atualmente a folha de pagamento aos aposentados e pensionistas do Município estaria em torno de R$ 9 milhões mensais. Aposentados presentes e a diretoria do Sindimmar informaram aos vereadores que, segundo dados do conselho administrativo do Ipremm, a reserva financeira apresentada até quarta, dia 3, não seria suficiente para custear a folha de pagamento do de junho, que vence nos próximos dias.

“Nos comprometemos a fazer a interlocução junto ao governo municipal, incluindo prefeito Daniel Alonso (PSDB), e secretário municipal da Fazenda, Levi Gomes, sobre esta condição que nos foi apresentada. Do mesmo modo, iremos solicitar ao Município a apresentação de um plano real para a recuperação do Instituto de Previdência. Contudo, acredito que esta recuperação só será concretizada a longo prazo, dentro de 15 ou 20 anos”, ponderou o presidente da Câmara de Marília, Marcos Rezende.