Resposta ao artigo “Salário do prefeito aumentou 49,9% em 9 anos! Se alguém mente não é a Matra”

por Ramon Barbosa Franco publicado 07/03/2019 10h00, última modificação 07/03/2019 10h00
Transparência, ética, cidadania e respeito pautam o trabalho desta Presidência, da Mesa Diretora e dos vereadores, contundo ninguém fugirá do avanço, das exigências da vida moderna que estabelece conectividade
Resposta ao artigo “Salário do prefeito aumentou 49,9% em 9 anos! Se alguém mente não é a Matra”

A presidência lamenta tais comentários e reitera que já solicitou à Matra que recorra ao bom senso, mas tal solicitação parece que vem sendo ignorada

O presidente da Câmara Municipal de Marília, vereador Marcos Rezende (PSD), se manifesta nesta resposta ao artigo veiculado domingo, dia 3 de março de 2019 na imprensa e assinado pela organização Matra, para deixar evidente que nenhuma instituição irá atrofiar o Poder Legislativo. Esta Presidência, a Mesa Diretora e todos os vereadores da 19ª Legislatura trabalham, diuturnamente, a serviço da comunidade, em defesa das pessoas que mais precisam, sempre se pautando pela democracia e pelo diálogo.

Esta Câmara Municipal foi responsável pela redução do número de cadeiras, de 21 para 13 e nos dois primeiros anos autorizou devoluções do duodécimo para o custeio de serviços essenciais. E assim continuará a proceder neste biênio de 2019 a 2020. Importante lembrar que dos 6% do orçamento municipal que o Legislativo de Marília tem por direito constitucional para custeio de sua estrutura, utiliza-se somente 1,8% (ou seja, três vezes menos).

Transparência, ética, cidadania e respeito pautam o trabalho desta Presidência, da Mesa Diretora e dos vereadores, contundo ninguém fugirá do avanço, das exigências da vida moderna que estabelece conectividade, pluralidade e proximidade cada vez mais através das ferramentas digitais e da comunicação social, por isso o trabalho do Legislativo requer, dentre outras realizações, a instalação de emissora pública de rádio, contratação de agência de publicidade e instalação da Ouvidoria da Câmara Municipal de Marília.

Em nenhum momento o Poder Legislativo, esta Presidência ou a Mesa Diretora desferiu ofensas ou ataques à organização civil Matra – entidade que, aliás, promove saudável debate e é composta por cidadãos de condutas ilibadas. Porém, quando a referida entidade deseja, ela promove o diálogo. Quando não, parte para ataques se valendo da mentira ou adota a judicialização através de ações. E esta é mais uma resposta aos ataques que a organização vem desferindo contra esta Casa de Leis. A referida entidade se vale da mentira, pois afirmou que o Legislativo financiou matéria paga na imprensa para responder aos ataques que vêm sofrendo de forma insistente desta organização. A organização sustenta esta mentira enquanto deveria reconhecer em público que se valeu de informações falsas para emitir seus comentários. A entidade também usou da mentira ao afirmar que a criação de cargos comissionados no Legislativo seria ‘farra’ com o dinheiro público.

Esta Presidência respeita a entidade, mas não pode concordar com mentiras. Não concorda e não aceita mentiras. Observa ainda que sim, desde 2008, não houve Ato Fixatório dos vencimentos dos agentes públicos em questão e o que vinha acontecendo era somente o reajuste. Aliás, reajuste inferior ao praticado com os vencimentos dos servidores municipais.

Agora, numa clara prova de perseguição política contra a Câmara de Marília, seu presidente e a Mesa Diretora, volta a desferir ataques e injúrias, dando sinais de egocentrismo ao fazer afirmações laudatórias de si própria. Tenta tutelar a classe política, pois demonstra o intuito de querer que a classe política se curve à entidade, como se a Constituição Federal, a Constituição do Estado e a Lei Orgânica do Município, bem como o pacto federativo e as instâncias de Poder não tivessem nenhum valor. Cabe sim aos legítimos representantes da população, eleitos de forma democrática, diplomados pela Justiça Eleitoral e legalmente empossados, conduzirem de forma democrática, com diálogo e princípio republicano os rumos de uma sociedade, e não a uma entidade, a uma organização civil ou empresa privada. Mais uma vez, a entidade em questão, volta a mentir ao insinuar que esta presidência discorda de princípios constitucionais como transparência e liberdade de expressão.

A presidência lamenta tais comentários e reitera que já solicitou à Matra que recorra ao bom senso, mas tal solicitação parece que vem sendo ignorada.